sexta-feira, 11 de julho de 2014

L'amour...

L'amour...

L’amour, l’amour, l’amour.... Ahhh… Como seria bom se o amor viesse prontinho como nos filmes de romance! Que duas pessoas que não tem nada em comum se encontrassem nas situações mais adversas e se apaixonassem e se amassem por toda as suas respectivas vidas.

Na vida real não é bem assim... e isso todos nós sabemos! Sim... existem exceções! Lindas e motivadoras exceções! Mas elas são isso: exceções! – que pena! – Então, vamos nos ater às regras gerais!

É muito costumeiro ver pessoas comparando os relacionamentos atuais com os da época das nossas avós. Mas isso é um dos maiores equívocos que podemos fazer!

Vamos dar uma passeada por essa mentalidade que pairava antes dos anos 60 (por alto). O que acontecia, meu povo, é que as moças eram educadas para serem esposas, elas sabiam cozinhar, arrumar casa, costurar, bordar e afins, lavar, passar, enfim, elas eram exímias donas de casa, e em alguns casos – dependendo da posição social – sabiam falar idiomas, tocar piano e fazer todas essas coisas que eram consideradas chiques para a época! As mulheres eram treinadas para serem cegas às traições de seus maridos, eram treinadas para serem surdas e mudas, pois eram como vacas que pariam, pariam, pariam... sem importar o quê pensavam, sentiam ou almejavam, a função delas era ser um dama socialmente, frígida sexualmente, parideiras, obediente, subservientes... Muitas de nossas avós não tiveram nem a oportunidade de escolher, ou sequer conhecer, seus noivos.  

Isso acarretava em aceitação... a mulher não podia desquitar-se, porque a família cortava todos os laços com esse tipo de “Mulher Separada”, e ela não era amparada judicialmente, principalmente se essa mulher procurasse um novo amor, olhem esse absurdo:

“STF - RECURSO EXTRAORDINÁRIO RE 79383 SP (STF)
Data de publicação: 01/10/1974
Ementa: CANCELAMENTO DE PENSÃO ALIMENTICIA A MULHER DESQUITADA QUE PASSOU A VIVER EM CONCUBINATO. INOCORRENCIA DE VULNERAÇÃO DA REGRA DO PARÁGRAFO 1. DO ART. 209, DO COD. DE PROC. CIVIL. DECISÕES QUE NÃO EVIDENCIAM DISSENSO INTERPRETATIVO, DIANTE DE CIRCUNSTANCIAS IDENTICAS, NA FORMA DA SÚMULA 291. RECURSO EXTRAORDINÁRIO NÃO CONHECIDO.

Encontrado em: VOL-00072-03 PP-00560 CV1235,ALIMENTOS PENSÃO ALIMENTICIA CANCELAMENTO RECURSO EXTRAORDINÁRIO RE 79383 SP (STF) Min. DJACI FALCAO”

E assim os casamentos duravam até a morte de um dos cônjuges...

Claro! Existiram casos de pessoas que mesmo sendo um casamento arranjado, depois se conheceram, se apaixonaram e viveram felizes. Houveram casos que mesmo sem amor, havia respeito recíproco. Mas volto a dizer: Essas eram exceções!

Depois da década de 60 e o grande advento da Pílula Anticoncepcional, as mulheres puderam ser pessoas, e não mais animais para a procriação. Elas começaram a escolher seus namorados (noivos e maridos), puderam estudar e educar suas filhas para serem pessoas livres e independentes. Em 1986 o desquite passou para o divórcio, passando a amparar mais as mulheres, dando a elas o direito de registrarem seus filhos – mesmo que fossem “bastardos” – a estudarem, trabalharem e viverem as suas vidas... e assim, as mentalidades mudaram.


Muitas pessoas reclamam das feministas, mas devemos à elas muitas dessas mudanças, que para nós foram mais do que importantes, representou, também, na humanização da mulher.


Depois disso, tudo ganhou um novo sentido e a busca pelo amor se tornou algo como a busca pelo El Dorado! Impulsionado pelas indústrias do cinema, TV, livro, música... todos, tudo fala sobre o amor! Aquela pessoa única feita sob medida para você! Um final feliz... ahhhh... tudo tão lindo e cintilante!
                                              
E aí... Eis que chega a modernidade! Com sua indústria pornográfica e suas grandes “pornostars” com suas gargantas sem fundo... e a preocupação com o tamanho do pênis, e a preocupação com a “performance”... E, sem que percebamos, eis que se foi... acabou! Cadê o romantismo?! Nossos príncipes em seus alazões?! As flores, os bombons?! O café na cama?! A ligação no dia seguinte?! A ligação no final do dia, só pra saber se estamos bem?! E as ligações na madrugada só pra dizer que estava com saudades, que estava pensando na gente?! Cadê o jantar à luz de velas!? A serenata na janela?! O pedido de namoro?! O carinho enquanto dormimos?! A veracidade no “Eu te amo”?! Cadê os poemas milimétricamente pensados, para dizer o quanto somos lindas, perfeitas e o quanto a vida deles não teria sentido sem nós – uma prosa já servia?! As cartas de amor?! As canções?!

A verdade é que os homens reclamam das mulheres com sua “Síndrome de Cinderela”, mas esqueceram-se de que eles criaram isso tudo quando “Macunaíma arrancou uma árvore pela raiz por sua amada”, “Augusto está disposto a largar sua vida de boemia, para viver por seu amor por D. Carolina”, “Romeu desafia sua família por Julieta”, porque as “Helenas” continuam aqui, dispostas à morrerem de pneumonia por seus amados!

Não foram as mulheres sozinhas que criaram o “Mito do Homem Perfeito”, os homens também nos incentivou... Assim como, os homens que estão sempre prontos “pro combate” não foi criado somente por eles, nós também os ajudamos.

A verdade atual é: (e isso eu ouvi um dia desses num programa, muito bem colocado!) que os homens se casam esperando que as mulheres nunca mudem, e as mulheres se casam esperando que o homem mude! Ou, ainda, em outras palavras, mulheres usam sexo para ter relacionamento, e homens usam relacionamento para terem sexo!

E moral da história: ninguém tem nada! Mulheres ficam frustradas por não terem seus galãs ufanes, seus amantes que nunca negam fogo, seus protetores que as protegem de todos os perigos, seus heróis que desafiariam tudo e largariam tudo por elas. O homens casados ficam em seus banheiros masturbando-se imaginando uma mulher com seus corpos esculturais, fazendo o duplo twist carpado na cama, mandando eles ejacularem em todas as partes possíveis e imagináveis delas, querendo que sejam uma Demi Moore (em Streptese), que estejam 24 horas por dia lindas, depiladas, arrumadas, escovadas, maquiadas...

Hoje nossa vida gira em torno do sexo! Sexo por sexo, sexo por amor, sexo por dinheiro, sexo por prazer, sexo por amizade! Sexo, sexo, sexo, sexo!!!!

Não estou aqui advogando contra o sexo, estou aqui dizendo que sexo é bom, é maravilhoso, mas que existem outras coisas que também são importantes! O romantismo caiu no desuso, no demodê!!! Quem nunca entrou numa “dança da conquista” na sabe o que está perdendo!!!!!!!!

É tão gostoso olhar, desejar, brincar com os sentidos... É delicioso se sentir desejado, cortejado! É inebriante estar com quem se deseja estar, com quem se sonhou (e me refiro sonhar no sentido de dormir e ter sonhos, mesmo!) estar! E tudo o que eu disser aqui, me parecerá pouco para descrever a satisfação de se lutar por alguém com a qual você acredita vale à pena estar!

Não, eu não sou tão ingênua de acreditar que relacionamentos se fazem sem o sexo, sou casada e se que PELO MENOS 50% do casamento é sexo, e quem é casado irá concordar comigo! Contudo, existem outras coisas! Existe amor, amizade, companheirismo, carinho, respeito, dedicação, afeto, reciprocidade, e muito mais!

Lingeries rendadas são lindas, mas nenhuma mulher consegue usar todos os dias... Imaginem vocês: “Uma mulher linda, maquiada, cabelos bem tratados, com uma roupa de executiva se equilibrando em cima de um salto 15 cm, com uma calcinha fio dental e uma cinta liga, num sol de 40º C.... é humanamente impossível! Ou uma mulher todas as vezes que for transar com um cara fazer um strip, seria chato! Assim, como é chato partir logo pro “vamos ver”!

Homens com seus corpos sarados são lindos, mas é um saco o cara sair cansado do serviço e ir pra academia, sofrer duras restrições alimentares, em prol da boa forma (é chato pra gente, imagina pra eles!)

Gente! Vamos cair na realidade! Homens são super sexy com uma barriguinha protuberante, uma barba por fazer, mas limpo, cheiroso, com as genitais depiladas (ou aparadas), uma cueca boxer (bem confortável), um cabelo cortado (ou bem cuidado), unhas limpinhas... Mulheres é legal fazer uma depilaçãozinha uma vez por mês, usar uma lingerie legal no fim de semana, mas durante a semana usar uma camisola bonitinha (nada que remeta à sua avó), uma calcinha de algodão durante a semana não tem problema (conversa, quem sabe seu namorando/noivo/marido seja fã do Star Wars, e quem sabe você encontra uma calcinha desse tema, aposto que ele vai achar bem legal!), ir ao salão à cada duas semanas (ou manter esses cuidados básicos em casa mesmo).

Homens, antes de cobrar que a mulher seja uma amante perfeita, lembrem-se: sua esposa é mãe, dona de casa, trabalhadora, universitária, filha... nunca as “funções” de uma mulher estiveram tão acumuladas! Nós cansamos!!!

O que está faltando, basicamente, é o diálogo! Para que consigamos encontrar um meio termo! Algo que possa ser trazido do imaginário para o real, o palpável!

Outra coisa que me incomoda bastante, é a mulher achar que o homem pensa como a mulher. Amiga, se você pensa assim, tenho uma triste notícia: Eles não pensam!

Segundo Maurício Garcia, psiquiatra da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e colunista do blog 'Papo de homem', onde assina como Dr. Health, explica que o sexo solitário tem significados diferentes entre os gêneros: 'As mulheres apresentam uma tendência a canalizar o interesse sexual única e exclusivamente para o parceiro. Com a gente é diferente', diz. Segundo o especialista, a mulher ou namorada é, muitas vezes, a inspiração de homenagens solitárias prestadas até no banheiro do escritório. 'Quem disse que não nos masturbamos pensando em nossas amadas? Bateu aquela vontade, e ela só volta para casa às 10 da noite... Estou ali, sozinho, sem nada pra fazer. O que me custa?', diz o médico. 


É, minha amiga! É isso mesmo que você leu!

Bem, quanto a isso... o que posso dizer é: procure sempre conversar... e mais uma vez, procure não agredir a dignidade de ninguém. Têm mulheres que acham legal assistir um filme junto, têm mulheres que não gostam... não estou aqui pra dizer quem está certo, ou errado! Sou do pensamento de que “O certo é o que funciona no relacionamento!” mas, posso dizer o seguinte: se você não consegue conversar sobre isso com seu(ua) parceiro(a)... meu(inha) querido(a) seu relacionamento está mal!!!

É possível, eu acredito que seja, ter romance, ter sexo, ter tesão, ter amizade, ter carinho, ter respeito, tudo isso, num mesmo relacionamento!

A questão é que a quantidade vem sido cada vez mais imprescindível, e a qualidade cada dia mais relegada! Quando deveria ser o contrário! O mundo dos solteiros está cada dia mais atrativo – nada contra a vida de solteiro – mas, o que está acontecendo é que homens, e mulheres casados traem... E a “indústria da traição” está aí!

Acho que estamos vivendo um retrocesso social: a virgindade sendo super valorizada e traições sendo cada vez mais frequentes.

Antes de prosseguirmos gostaria de deixar bem claro que não estou defendendo que a menina (ou o menino) sejam virgens, ou não. Estou só expondo um ponto de vista.

A virgindade é algo lindo que pertence somente à pessoa. Não diz respeito a mais ninguém! Se a menina acha que deve guardar para seu futuro marido, acho legal! – claro que isso pode acarretar em arrependimento, talvez o cara que você se case seja um grosso, que não tenha um mínimo de cuidado com você na hora “H”, você nunca vai saber se ele é bom ou ruim, porque não terá parâmetros, você correrá o risco de passar a sua vida inteira, ou boa parte dela, casada com um “troglodita sexual” – mas todas as nossas escolhas causam isso, consequências!

É até injusto dizermos que ninguém é obrigado a ficar com ninguém! Existem “N” motivos, alheios a nossa vontade, que nos obrigam a ficar com alguém que não nos interessa mais. O importante é que você não obrigue ninguém a ficar com você! O mundo é enorme! Cheio de pessoas lindas, interessantes e dispostas a conhecerem uma pessoa que esteja aberto pra que a vida aconteça. Todo mundo quer viver um grande amor!

E então, novamente, voltamos ao tema central dessa postagem: Amor!

Uns acreditam que ele é único! Outros que – como Vinícius de Moraes – são muitos, eternos enquanto durarem! É correto afirmar, somente, que todos nós, velhos, novos, maduros ou ingênuos, todos nós, repito, queremos – ou já vivemos – um grande amor!

Ter uma experiência com o amor tem muito haver com encontrar com uma pessoa que esteja disposta, como você, a vivê-lo. Em nunca alimentar a ilusão de que nós mudemos os outros, porque isso não acontece! Queira conquistar essa pessoa, mostre-se como você é... caso a pessoa não queira você, ótimo! Vamos, é partir para o próximo da fila! A paixão só dura o tempo de encontrarmos outra!

Precisamos ser felizes! Com ou sem alguém! Quem é feliz sozinho, é feliz com qualquer pessoa! Ter alguém do nosso lado por opção, é muito melhor que por necessidade! Se você é do tipo: “Não consigo ser feliz sozinho”, saiba que tudo nessa vida se aprende!

E tenha a mais absoluta certeza de que, quando estamos com alguém por vontade, e não por necessidade, tudo fica melhor!


Um grande abraço e até a próxima!!!!!









0 comentários:

Postar um comentário