terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Você já disse “Eu te amo” hoje?


Olá meus queridos amigos e leitores, quanto tempo! Tenho bem um monte de novidades pra vocês!!

Primeiramente gostaria de desejar a todos um FELIZ 2013, que esse ano seja marcado pela a sabedoria de Saturno, que tudo desnecessário ou que esteja em excesso seja eliminado, afim de trazer nossa vida ao equilíbrio, que sejamos inteligentes para perceber tudo aquilo que necessitamos – e não só aquilo que queremos –, que esse ano seja recheado que momentos felizes e conquistas.... enfim, que esse ano seja maravilhoso e muito abençoado para todos nós!

Vamos a grande novidade, só para começar o ano bem! Passei no vestibular, e agora sou uma “aspirante à cientista social”, e se tudo der certo, daqui há cinco anos estarei me formando na Faculdade Federal Fluminense!!! Agradeço a todos que torceram por mim e a todos que estão felizes por minhas realizações!

Outra coisa que eu gostaria de fazer para começar o ano “zerada” é pedir desculpas à todos por demorar tanto a postar, é que por conta de todas essas coisas eu tenho andado meio que relapsa mesmo com vocês, mas pretendo voltar com tudo nesse ano, e se tudo der certo – e eu seu que vai dar – voltaremos com muitas novidades... Espero como sempre, ter a colaboração de todos mandando dúvidas e sugestões para o e-mail do santuário (santuariowicca@gmail.com) e contribuindo com nosso espaço.

E pra começar o ano bem eu gostaria de fazer uma pergunta para todos vocês que estão lendo o Santuário: “Você já disse eu te amo para alguém hoje?”

Já pararam para pensar de como a vida é passageira, de como as coisas simplesmente passam antes mesmo que nos demos conta da importância delas para nós. Geralmente quando bate aquela nostalgia, é que percebemos o quanto algumas pessoas, lugares, coisas e situações nos fazem falta, o quanto éramos felizes quando os tínhamos por perto, o quanto nos fazem falta. E também é nesses momentos que percebemos o quanto fomos felizes...

Mas os nossa vida não retrocede, não podemos fazer dela um rascunho, não podemos reescrevê-la... você fez, está feito e pronto!

Nessa nossa vida cada dia mais corrida, nesse nosso mundo cada dia mais “duro”, aprendemos desde cedo que não devemos demonstrar nossos sentimentos, porque isso é uma fraqueza. E por mais que deduzamos que alguém nos ama, isso não se torna “palpável” enquanto não nos é demonstrado. Os seres humanos precisam dessas afirmações para se sentirem plenos e realizados, o fato é que quanto menor a comunicação, mais necessitamos dela!

Se pararmos e pensarmos todos os dias podem ser nosso último dia – consequentemente os das pessoas que amamos também – pensem: você pode ir trabalhar e sofrer um acidente; pode ir dar um passeio no cinema e deparar-se com um maníaco, desses que estão na “moda”, e ele sair distribuindo tiros; pode até mesmo ficar em casa para descansar e sofrer de um mal súbito e morrer... E como ficam aqueles que sentirão nossa falta?

Aí você vai me responder: “Eu não posso fazer nada por eles...”, então vamos inverter a pergunta “O que fazer com aquele sentimento preso dentro do nosso peito, aquela palavra que sempre ficou embargada na garganta, com o remorso toda vez que você pensar naquela pessoa?!”

Se você pensar bem, é muito mais fácil e melhor você simplesmente dizer, fazer... A falta nesse sentido trás consigo um sentimento de incompetência, ao amar-mos demais, ao expressarmos esse amor – mesmo que a pessoa depois se mostre indigna dele – mas o sentimento que fica é de “Eu fiz tudo que poderia ter feito, se ele(a) não reconheceu... problema é dele(a)!”. E ao fazer isso você transfere a responsabilidade da reciprocidade para o outro, e você já não pode responder por aquilo que te é alheio.

Dizer “Eu te amo” é reconfortante, é materializar um sentimento, é expressar a importância de forma qualitativa e quantitativa do outro para você. É dizer para o outro “Poxa, eu preciso de você, você é importante, você é especial e sem você nada teria o mesmo significado!”.

E para quem acha que eu estou exagerando, vamos a visualização nossa de cada dia. Pense numa pessoa que você ame muito, agora imagine o telefone tocando e alguém te avisando que essa pessoa morreu, qual o sentimento que você está sentindo? Se a resposta foi somente tristeza, bom para você! Se a resposta foi falta, solidão, carência.... péssima notícia você precisa muito dizer “eu te amo” para essa pessoa!

Então, levanta o bumbum da cadeira e vai dizer “EU TE AMO”....

Grandes beijos a todos e muitas bênçãos!!! Até a próxima......




1 comentários:

Postar um comentário