segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Lei da Palmada - Palhaçada!!!!!

Olá meus caros leitores!

Bem, sei que estou devendo uma postagem sobre Totens... e já estou trabalhando nela, espero postar ainda essa semana. Mas o motivo que me levou a postar hoje é uma imensa onda de raiva e indignação!

É essa tal lei da palmada! Para quem quiser ler na íntegra, disponibilizo a url para que leiam e para que fique bem claro de que sei do que estou falando, caso haja alguma dúvida - http://www.fia.rj.gov.br/legislacao/leidapalmada.pdf.

Algum tempo atrás recebi um e-mail que uma leitora (que agora me falha a memória) mas a parte que me acompanha e que me faz pensar muito antes de postar qualquer coisa, sobre qualquer assunto é, dizia ela: “...você é formadora de opinião...”. E utilizando do meio que disponho, quero que fique registrada a minha completa e total raiva e indignação – como falei acima.

Sou 14ª filha do meu pai... é... é... eu sei... papai teve uma vida agitada... são 4 casamentos e 15 filhos... hoje ele está com 86 anos.

Há pouco mais de 80 anos era comum crianças ajudarem no sustento da família com 7 anos (ou menos), aos 13 já assumiam a casa na falta de um dos pais e não estudavam... minha avó me conta de surras que logo após seu término se fazia necessário um banho de “salmoura”. Quero deixar bem claro que não sou a favor disso...

Meu irmão mais velho deve estar beirando os 70 anos, o acordo entre ele e meu pai era: ele tinha casa e estudo até os 14 anos, depois disso o vestuário era por conta dele e o que faltasse para os estudos meu pai também completava... A mãe dele deu a última surra nele quando minha sobrinha era um bebê, porque ele chamou a mãe de imbecil...

Essa historinha prévia é só para ilustrar um fato... ele não cresceu revoltado, se formou como engenheiro, é um excelente pai de família, tanto que hoje minha sobrinha trabalha numa multi nacional viajando pelo mundo inteiro.

Não sou a favor do espancamento!

Sou a favor de uma criança, aquela mesma que pode cometer crimes hediondos com apenas 10 anos, trabalhe meio expediente, estude, brinque e batalhe para conseguir aquele tênis de marca, aquela calça da moda, aquele casaco transado...

Quando digo trabalho não entendam por pegar na inchada, carregar sacos de laranja nas costas, etc. Digo colocar compras nas sacolas de mercado, por exemplo, aparar a grama do vizinho, lavar janelas, sei lá... trabalhos que não demandem de muita força, mais que ensinam uma criança a ser um homem de verdade.

Fico horrorizada quando vejo uma criança mandando a mãe ou o pai a merda, se ferrar, calar a boca (entre outras coisas ainda piores). Tenho 25 anos e uma filha, sabe quando eu fiz isso? Sabe o que aconteceria comigo se o fizesse? Não quero nem pensar!

Toda criança tem direito a brincar, não só de brincar. Toda criança tem direito de estudar. Toda criança tem direitos, mas não só direitos; acima dos direitos todos nós temos obrigações. Toda criança precisa conhecer limites, regras e autoridade, e tudo isso é saudável.

Como primeira alternativa deve-se sim ter uma conversa, depois um castigo e em caso de insistência umas belas “sandalhadas no lombo” resolvem o problema.

Li um livro super interessante “TAPA NA BUNDA” da autora Denise Dias, quem puder leia...

Essa lei representa não só o Estado intervindo nos valores da família erroneamente e negativamente, mas também a reafirmação de que vivemos numa ditadura camuflada. Onde os cidadãos não tem nem mais o direito de educarem seus filhos da forma que acham correta. Daqui a pouco os deputados vão invadir nossas casas e revistar nossos armários e dizer o que podemos ou não comer e vestir.

Se uma mãe pega e seu filho e dá umas boas sandalhadas é para que no futuro a polícia não precise fazer coisa pior.

Tanta coisa para nosso governo se preocupar, e ele se preocupa com a forma de educar de uma família?!?!

Bem gente, essa postagem foi mais a título de desabafo mesmo, fico aqui na torcida para que essa lei não seja aprovada.

Até breve...


0 comentários:

Postar um comentário