quarta-feira, 30 de março de 2011

Família...

Mãe entrega o filho adolescente à polícia depois de assalto em Brasília

Uma mãe entregou o filho à polícia. O garoto, de 13 anos, furtou uma lanchonete, junto com três colegas.

Ontem, mãe e filho chegaram juntos à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente. “O que eu vou fazer? Ficar passando a mão na cabeça? Admitindo que meu filho assalte? Que meu filho mate? Que meu filho use drogas? Não posso admitir e concordar. Ele só tem 13 anos”, lamenta a mãe.

Hoje de manhã, ela voltou ao Conselho Tutelar atrás de ajuda para o filho.

Esse drama começou há quase dois anos. Primeiro, havia apenas a desconfiança de que o filho estaria participando de pequenos furtos na cidade. Ao flagrar o adolescente distribuindo chocolates, balas e cigarros roubados de uma lanchonete, a mãe decidiu agir e entregou o filho para a polícia.

Antes de chegar a este ponto, não faltaram conversas e pedidos. “Não escutava mais. Eu não tinha forças. Não tinha mais o que fazer. Era como se eu sentisse que tinha perdido o meu filho”, revela.

Ela tem a certeza de que estar agindo corretamente, o que não diminui a dor. “Se o filho recuperar-se, certamente ela vai ter uma auto-estima maior, mas se as medidas não forem adequadas, certamente ela vai ter um sofrimento ainda maior do que a decisão de entregar o menino à Justiça”, afirma Aderson Costa, psicólogo e professor da UnB.

O problema, segundo ele, é qualidade das instituições de recuperação de jovens infratores. “Elas se parecem mais faculdades de crime do que um contexto educativo. Elas precisam de urgentes modificações”, garante.

Em Belém, um jovem de 14 anos já pode ser considerado um profissional do crime. O garoto tem 12 passagens pela polícia e ontem foi apreendido vestido de mulher. Era assim que ele entrava em casas e condomínios de luxo para roubar. O adolescente foi flagrado em ação pelo menos três vezes por câmeras de segurança.

Em Brasília, a mãe do garoto entregue à polícia espera que seu destino seja outro. “Eu quero que ele cresça como ser humano. Quero que ele seja uma pessoa de bem”, diz ela.

O adolescente de Belém foi encaminhado para uma unidade de atendimento onde vai cumprir medidas sócio- educativas.

Já o garoto de Brasília, que foi entregue à polícia pela mãe, acabou liberado junto com os três colegas. Todos serão julgados agora por um juiz da Vara da Infância.

Fonte: http://g1.globo.com/jornal-hoje

Olá meus queridos amigos! Hoje começo meu post com essa reportagem que entristece nossos corações e nos faz pensar sobre o mundo, e principalmente nas coisas erradas que existem dentro de nossos lares.

Cada ser humano é um universo! Cada família é um mundo, e cada integrante precisa ser um ponto de equilíbrio nesse mundo!
Pode-se avaliar a qualidade do mundo em que vivemos pela qualidade das relações familiares que temos, que hoje, estão cada vez mais precárias! Isso é extremamente preocupante!

Uma vez um leitor me perguntou desesperado no MSN se eu acreditava no fim do mundo em 2012, posso afirmar-lhes que esse tal “fim do mundo” está se desenrolando, dia pós dia! Para mim essa manchete só vem reafirmar esse pensamento!

Temos que acordar! Temos que erradicar esse câncer de dentro de nossas casas!

Sempre pensamos que somos pequenos de mais, que “uma andorinha só não faz verão”, pois eu estou aqui para quebrar as barreiras, eu estou aqui para fazer a diferença, eu estou aqui para desafiar as leis da física, eu convido todos vocês a fazerem o mesmo!!! Acabando com esta peste, este câncer, que aflige as famílias contemporâneas.

Analisando essa matéria imagino a falta de diálogo, compreensão, empatia, etc. Não posso deixar de reconhecer a grandiosidade do amor dessa mãe sacrificando aquilo que lhe é mais precioso...

Peço a todos vocês que assumam o compromisso de educar mais que amar, de conversar mais que falar, de ouvir mais que escutar, de respeitar acima de todas as coisas... os pais pensam que os filhos tem a obrigação de respeitá-los, mas esquecem-se que essa é uma via de mão dupla, respeita-se reciprocamente.

Criar um ser humano de bem significa passar a ele todos os ensinamentos de deveres acima de direitos, pois só podemos cobrar nossos direitos quando executamos assiduamente nossos deveres; é saber que nossos privilégios terminam quando o de nosso próximo começa; é ensinar que os animais e as plantas sentem dor e que ninguém gosta dessa sensação; que não é feio pedir desculpas e que um abraço às vezes fala mais que mil palavras; que as pessoas se incomodam da mesma maneira que você e por isso não é certo fazer com eles o que não gostaríamos que fizessem conosco; que existem coisas belas e que é sempre bom compartilhá-las com pessoas seletas; que a amizade é uma família que escolhemos o que as tornam especiais, mas que isso não significa que sua família consanguínea deixou de ser especial também; que a rigidez significa mais amor, que a falta dele e que um afago não tem preço; no que está entre os olhares, que às vezes transportam até mesmo pensamentos; que o passado não pode ser mudado, que o presente é uma dádiva por isso recebe o nome de PRESENTE, pois através dele moldamos o futuro...

Como praticante de wicca, que sou, acredito na mudança dos seres humanos, na capacidade de transformar erros em aprendizagem e tornamos nossa vida em exemplo e convido a todos vocês a fazerem diferença mostrando o Divino que habita em nós!!

Espero que vocês tenham gostado!!

Um grande abraço e namastê...





1 comentários:

Postar um comentário