sexta-feira, 4 de março de 2011

Desabafo - Parte 2: Enfrentando a Maternidade!

Júnior, pode chamar sim...

Continuação...

Depois voltei a trabalhar... e quando pensei que voltaria a estudar... senti que minha vida estava entrando nos eixos... descobri que eu estava grávida. Nossa! Eu nunca me imaginei mãe... ter uma pessoinha dependendo de mim pra tudo! Nunca quis se sacerdotisa exatamente por isso, nunca gostei dessa estória de uma pessoa dependendo de outra, de eu ter que dar exemplo, essas coisas... e agora eu iria ser mãe. Entrei em pânico! Não, não... era simples resolver! Aborto! Por que não?! Tanta gente faz... eu não seria a primeira nem a última! E só quem saberiam seriamos eu e Raphael.

Raphael, como sempre, me apoiou em qualquer decisão que eu tomasse, dessa vez não foi diferente!

Mas a Hyvi aqui sempre gosta de ver as coisas em 180 graus. Meu relacionamento com o Raphael estava estável desde 2008, juntando nossos salários teríamos como pagar um aluguel e nos manter, eu já estava centrada quanto a mim mesma, o Rapha estava beirando os 33 anos e eu os 24 anos, e mais uma vez, por que não?!

Sentamos, conversamos, pensamos e depois de muito pensar e repensar decidimos ter. Espalhamos a novidade para as famílias, da minha parte todos ficaram felizes, inclusive minha prima está sendo internada hoje para da a luz ao Miguel, da parte dele houveram algumas resistências... mas dane-se! Ninguém tem nada com isso!

No dia 11 de setembro de 2011 primeiro sábado depois do anúncio, meu cunhado mais velho nos convidou para um almoço, comemorar o neném... e aconteceu o prior, depois de termos almoçado, eram por volta das 13:30, tive um sangramento, que só cessou na quinta-feira dia 16. Tive tanto medo! Foi quando percebi que poderia estar perdendo essa pessoinha e eu já a amava!

É estranho... estranho você nem conhecer alguém e já a amar mais que a vida... seria capaz de fazer qualquer coisa por esse bebê...

Quando fiz 5 meses e meio de gravidez o Raphael e o pai dele brigaram e não tínhamos para onde ir, minha mãe queria que morássemos lá na casa dela. Mas o Rapha é uma pessoa orgulhosa e não aceitou. A princípio eu fiquei na casa da minha mãe e ele na casa do irmão mais velho dele. Naquela semana minha pressão chegou a 16 por 10... minhas pernas ficaram como um pilão!

Meu cunhado foi um anjo... em uma semana ajeitou as coisas. Correu atrás de uns amigos que indicaram umas casas e apartamentos que estavam para alugar nós visitamos alguns e escolhemos um apartamento num condomínio de prédios de 3 andares, com aproximadamente 70m², 2 quartos, sala, cozinha, banheiro e área, armários embutidos, a conservação do condomínio é excelente e tem quadra e tudo mais... o irmão dele entrou como fiador e nós alugamos em menos de uma semana.

O Raphael fez as pazes com o pai dele, e minha mãe e a mãe dele cederam algumas coisas... já tínhamos fogão, máquina de lavar roupas, o berço (meu primeiro presente ao meu anjinho), TV, DVD, computador, algumas roupas de banho e cama, compramos uma cama, minha mãe emprestou uma cômoda, uma geladeira e um armário pequeno para o bebê (ela o reformou, ficou lindo!); minha sogra emprestou um rac, uma arca, uma mesa pequena, cadeiras (daquelas de bar); um amigo de infância dele deu uma mesa de computador e uma TV 29 polegadas, outro amigo da faculdade deu um jogo de sofá antigo, e todos os presentes que eles ganharam de presente de casamento repetido, minha prima me deu um carrinho. Enfim! Recebemos muita ajuda! Graças aos Deuses!!!!

Combinamos – eu e o Rapha – que eu cuidaria do enxoval do bebê, enquanto ele resolvia os problemas da casa!

Gente, eu não sei o que faria sem minha mãe!!! A maioria das roupinhas que o bebê tem foi ela quem deu, toalha, manta, fraudas.... essas coisas!

Agora estou com 8 meses e 1 semana, já sei que é uma menininha: Laura, na última ultrassonografia deu pra ver a pererequinha dela (parecia um hamburguinho) e o perfil, tem o nariz arrebitado e umas bochechas muito fofas!

Eu sinceramente não sei! Eu não sei o que estou sentindo... é um misto de medo e ansiedade! Tenho medo dela nascer com algum tipo de deficiência, tenho medo de não ser uma boa mãe, de falhar, de morrer e deixá-la sozinha, de não torná-la uma pessoa descente, que um dia possa me orgulhar! Tenho tanto medo!

Mas parece ser um sonho... acho que a ficha ainda não caiu. Não me sinto mãe, mesmo com todos esses medos! Como eu disse no post de ontem não sou muito boa com mudanças, mas estou tentando encarar de uma forma madura, está difícil! Até porque, se alguém me pedir hoje para descrever o que estou sentindo, não saberei responder!

Às vezes lembro dos bares, das boates, dos shows... de tudo que eu e o Rapha íamos e sei que esse tipo de coisa não será mais frequente... não quero deixar que meu casamento seja daqueles tradicionais... isso é chato! Ainda estou estudando formas de não deixar isso acontecer!

Eu e Rapha temos brigado muito... sempre por conta das atitudes dos pais deles (até joje os pais dele não foram em nenhuma ultra, só pra vocês terem uma idéia)... e parece que eles não nos querem juntos! Mas a Laura está vindo aí, e nossa família será inaugurada com seu nascimento!

Eu sei que vou conseguir... existem falhas e tropeços... eu não quero falhar! Não admito isso! Eu sou cabeça dura e orgulhosa o suficiente para não aceitar esse tipo de derrota!

O enxoval está de vento em polpa, essas são algumas peças que eu bordei:

Toalha de boca

Toalha de boca

Toalha de banho com capus

Babador


Eu aconselho às pessoas, principalmente as mulheres, que pensem muito bem! Não se trata do fato de ser responsável por outra pessoa, se trata das possibilidades e a certeza de que em algum momento você irá falhar... se trata de possuir um amor maior que a vida... se trata de tantos sentimentos estranhos, de tantas mudanças loucas... num dia você é filho de repente se torna mãe (pai)!!!!

Acho que depois que ela nascer, depois que estiver em meus braços tudo isso vai mudar... mas eu só saberei quando isso acontecer... até lá vamos tocando o barco...

Hoje estou pintando o quartinho dela, ontem lavei algumas coisas... o grande dia está chegando... e eu cada dia mais desesperada!!! Tenho fé de que dará tudo certo!!! Ela pula na minha barriga, cada dia que passa mais forte!!!

Que a Laurinha venha com muita saúde, sorte, felicidade e inteligência!

Muito obrigada a todos vocês por mais uma vez aceitarem partilhar de minha vida, dos meus medos, dos meus anseios! Muito obrigada por me ajudarem numa época que necessitava! Muito obrigada por tudo! Obrigada por criarem um Santuário na minha alma, porque isso aqui é minha alma, um sonho realizado! Cada vírgula, cada letrinha, cada ponto é escrito com muito amor! Amo a todos vocês, amo aos Deuses, amo minha religião e espero amar o fato de ser mãe... eu não sei se vocês entendem... eu amo a minha filha, porém não amo o fato de ser mãe... acho que é isso!!

Eu não queria ser mãe... mas aconteceu quando menos esperava... é necessário! Eu sei! Se aconteceu foi pela vontade Deles... Hahaha... eu não fujo de uma boa briga, né?! Essa é mais uma que eu vou enfrentar de cabeça erguida, altiva, morrendo de medo... mas firme! RSS...

Amigos um grande beijo e um abraço bem apertado!!!


2 comentários:

Postar um comentário