domingo, 1 de agosto de 2010

Postagem de Aniversário: Alta Magia

Olá leitores, amigos e parceiros do Santuário Wicca. Fiquei bastante desapontada com a enquete, nenhuma pessoa me mandou o e-mail e por isso não houve ganhador. Mas hoje é um dia de comemoração, o aniversário do nosso Santuário querido! 1 ano de sucesso e auxilio aos que começam a enveredar nesse caminho maravilhoso da magia. São 5.669 visitas, 75 seguidores e 132 postagens; só posso agradecer a todos vocês pelo carinho, pelas críticas, pelo aprendizado e pela concretização desse objetivo. Obrigada por tudo, vocês são D+++++++++++.....

O resultado foi Alta Magia... aqui está o post prometido, espero que gostem e que sirva de impulso para que vocês procurem mais sobre o assunto!



Alta Magia

Esta linhagem é muito rica, e teve como “pupilos e mestres” grandes nomes como: Paracelso, Guilherme Postello, Cornélio Agrippa, Swedemborg, Albert Poisson, Éliphas Lévi, e ainda podemos citar grandes nomes da ciência e história como: Franz Anton Mesmer, Isaac Newton, Galileu Galilei, Albert Einstein, Benjamin Franklin, Sigmund Freud, Linus Carl Pauling, Carl Gustav Jung...

Seus adeptos a vêem como uma ciência divina, as quais se estudam a mente, o corpo, o espírito e toda a relação que temos com o divino; além de integrar a filosofia, física, matemática, astrologia etc... Pregam que a fé começa quando acaba a ciência, também são avessos a fé sem o reconhecimento da ciência e vice-versa.

Esses magos dedicam suas vidas inteiras ao desenvolvimento de suas faculdades, a fim de chegar mais próximo à Divindade de forma consciente, completa e intencional. O estudo desses autores é verdadeiramente enriquecedor.

A Alta Magia tem seus pilares em escritos hebraicos, gregos e egípcios – que também são as raízes da cabala – não desprezando outros livros, considerados sagrados. Na realidade este tipo de estudante é um grande observador e aprendiz dos Mistérios da vida e sabem interpretar como ninguém as alegorias encontradas nestes mesmos textos.

Sempre pregam valor a iniciação de seus discípulos, pois afirmam que um iniciado consegue ver muito além que o “vulgo” e, dessa forma, consegue ter maior discernimento.

Uma coisa que despertou minha atenção a cerca desta maravilhosa Arte é o conceito sobre a liberdade humana. Ela afirma que a liberdade é um prerrequisito para que o bruxo seja sábio, pois neste conceito engloba-se a liberdade de acreditar e fazer seus atos de acordo com sua convicção e não sofrer retorno. Assim, neste mesmo aspecto encontra-se também, a capacidade de o mago desviar de si tudo que é ruim ou que ofereça perigo.

Conforme Éliphas Lévi, os privilégios dos magos são:

1. Vê Deus face a face, sem morrer e conversa familiarmente com os sete gênios que mandam em toda milícia celeste;

2. Está acima de todas as aflições e todos os temores;

3. Reina com o céu inteiro e se faz servir por todo inferno;

4. Dispões da saúde e da vida e pode também dispor das dos outros;

5. Não pode ser surpreendido por infortúnio, nem atormentado pelos desastres, nem vencido pelos inimigos;

6. Sabe a razão do passado, do presente e do futuro;

7. Tem o segredo da ressurreição dos mortos e a chave da imortalidade

Os poderes deles são:

1. Achar a pedra filosofal;

2. Ter a medicina Universal;

3. Conhecer as leis do movimento perpétuo e pode demonstrar a quadradura do círculo;

4. Mudar em ouro não só todos os metais, mas também a própria terra e até as imundices da terra;

5. Dominar os animais mais ferozes e saber dizer as palavras que adormecem e encantam as serpentes;

6. Possuir a memória que dá a ciência universal;

7. Falar sabiamente sobre todas as coisas, sem preparação e sem estudo.

Os sete poderes menores do mago são:

1. Conhecer a primeira vista o fundo da alma dos homens e os mistérios do coração das mulheres;

2. Forçar quando lhe apraz, a natureza a se manifestar;

3. Prever todos os acontecimentos futuros que não dependam de livre arbítrio superior ou de um acontecimento incomensurável;

4. Dar de momento a todos as consolações mais eficazes e todos os conselhos mais salutares;

5. Triunfar das adversidades;

6. Dominar o amor e o ódio;
7. Ter o segredo das riquezas, ser sempre seu senhor e nunca o escravo. Saber gozar mesmo da pobreza e jamais cair na abjeção nem miséria.

Quando se alcança todos esses conhecimentos ele consegue dominar todos os Mistérios da vida e da morte, e aí ele poderá ser chamado, em fim, de sábio e consequentemente de alquimista.

Foi nesta corrente que encontrei a melhor aplicação para a lei do retorno, é explicado da seguinte forma: todos nossos pensamentos, intenções e vontades resultam em ações, essas por sua vez, são impressas – como se fosse uma tatuagem – em sua luz astral, ou seja, sua energia. O Universo reage conforme a lei dos iguais, semelhante atrai semelhante, e de acordo com isso as energias universais começam a reagir de acordo com sua vibração – que agora tem uma “tatuagem” ruim – e assim, começam a trazer coisas ruins para você.

Ela não nega a existência de um ser “maligno” e a de Deus, mas realmente não pude compreender ainda se eles realmente acreditam numa deidade feminina, mas acho pouco provável. Toda a mitologia, principalmente grega e romana, é assim utilizada para explicar “fenômenos” naturais, divinos e humanos.

Agora vamos nos aprofundar um pouco sobre a ralação homem x Deus. Tudo se dá no pensamento, quando foi dito em Gênesis 1:3 “Haja luz”; ele pensou primeiro nas trevas sendo anulada pela claridade, e assim a luz foi criada. Deus criou o homem; e o homem criou a Deus. Como?! As religiões crêem num ser superior que deu origem a todas as coisas, mas antes de tudo o homem precisa dessa verdade para ponderar seus atos e seguir um “código de ética e boa conduta” e disso concluímos que Deus precisa do homem, assim como o homem de Deus e dessa analogia Deus se faz no homem um homem INFINITO o que faz do homem um Deus FINITO.

Quanto a morte, acreditam que ela não se dá assim que diagnosticada. A vida não se resume somente ao “órgão mestre” que é o nosso cérebro. Há vida em cada célula de nosso corpo; e a menos que cada uma delas consumam essa vida, a alma não se desprende do corpo. Realmente esse é um processo que leva algum tempo e por isso essa corrente é, como algumas outras tantas, avessas a cremação de seus mortos. Pois a cisão entre o corpo e a alma, não ocorre completamente.

E o que acontece depois da morte? A pessoa que viveu bem, sua alma se despende e vira uma “fumaça” que sobe para as regiões superiores; contudo, aquele que se entregou aos vícios, paixões e atrocidades, fica presa a um plano astral e se aproximam das pessoas que cultuam hábitos parecidos com os que esse “defunto astral” mantinha – quando vivo – até que esse mesmo comece a esquecer-se de tudo e chegue a loucura e após isso, ele é devorado por aquilo que a prendeu neste plano.

Voltando a falar da liberdade, é interessante usar a bíblia como um documento histórico – que é – e analisar o comportamento humano no ponto de vista religioso e científico. Qual outra interpretação teria a sentença “Haja luz”, alguém pode arriscar?!

Quando Deus proferiu essa ação ele não simplesmente deu ao mundo uma perspectiva de lugar sem escuridão, ele não só tornou material um pensamento; ele deu ao homem o poder de saber o que é certo e errado, por conseguinte a inteligência. Ora, vamos analisar as coisas de uma forma mais lógica, e sem fundamentalismo cristão.

Samael, um dos sete arcanjos do céu, portador da luz, a primeira estrela que nasce e a última a deitar-se é também vulgarmente conhecido como Lúcifer, o anjo mais lindo de Deus. Quando desce, fora incumbido de semear a dúvida, essa que leva a ciência a evoluir, questionamentos que levam ao ser humano crescer em sua grandeza. Mas a inteligência tem um preço, que foi imposto como condição: a dor; por conseguinte aceita. Assim, esse anjo não é o propagador de todos os males, como foi, e é, proposto pelo catolicismo (visão essa que é adotada pelo protestantismo). O homem é, e sempre foi, o provedor de todos os seus tormentos; mas essa visão do mal absoluto é tão necessária quanto o bem absoluto, representados pelas alegorias: Deus x Diabo.

O grande “X” da Alta Magia é a pedra filosofal, aliás que nunca ouviu sobre ela? Essa pedra nada mais é que a quintessência presente na natureza e fundamental em várias correntes filosóficas e religiosas, materializada. Mas a mesma só poderá se “confeccionada” por um mago que já tenha descoberto o grande Arcano. Esse é um segredo guardado a sete chaves pelo iniciado, mas que cada um sabe dentro de si.

Em suma, o “alto mago” é uma pessoa que tem dentro de si a sabedoria, que sabe as conseqüências e assume as responsabilidades de agir contra uma corrente, que há algum tempo atua no mundo. Essa ciência religiosa consiste na reconciliação entre o místico e a razão, não misturando os dois, mas respeitando pontos fundamentais de cada um deles. Ensina como disciplinar-se e a interpretar alegorias presentes dentro de relatos e intrínsecas dentro do próprio ser humano, afim de levar à evolução. E acima de qualquer fundamento citado anteriormente, conhecer os mistérios da vida representados pelo grande Arcano da Magia e materializado pela Pedra Filosofal.

Obrigada novamente, espero que tenham curtido, muitas bênçãos e que venham mais aniversários!!!!!!

Beijinhos




3 comentários:

Postar um comentário