terça-feira, 27 de julho de 2010

Divindades babilônicas...

Dando continuidade aos artigos históricos elaborados para o santuário seguimos com apresentação rápida sobre as divindades pagãs babilônicas. Agradecendo sempre a oportunidade de tentar contribuir com esse fantástico espaço.


Como explanado anteriormente a religião babilônica se enquadra entre as mais antigas que se tem relato, uma sociedade politeísta, bem avançada para o período, que ganhou um grande destaque na história ocidental principalmente pelo cativeiro realizado aos hebreus, por volta do século IV antes de Cristo, este episódio ganhou a notoriedade em seu fim com o nome de diáspora hebraica.



Agora vamos para o que foi realmente proposto, as divindades Assírio-Babilônica:

Os Mais Velhos Deuses:



Apsu


O oceano subterrâneo, masculino. O gerador dos céus e da terra. O pai de Lahmu, Lahamu, Anshar e Kishar. Ele não pôde reprimir o barulho feito por seus filhos. Ele então fez um conluio com seu vizir Mummu para silenciar os deuses e permitir que Tiamat descansasse, mas Tiamat rejeitou a idéia. Ea percebeu seus planos, lançou um encanto do Sonho sobre ele e matou-o.



Tiamat


No Enuma Elish sua descrição física contém, uma cauda (rabo), coxas, "partes baixas", abdômen, tórax, pescoço e cabeça, olhos, narinas, boca e lábios. E por dentro coração, artérias e sangue.
Primeiro Caos, sustentador dos céus e da terra, mãe de Lahmu, Lahamu, Anshar, e Kishar. Os clamores dos jovens deuses perturbavam-na, entretanto ela continuou a agir de forma indulgente com eles. Quando Apsu e Mummu sugeriram que eles matassem os jovens deuses, ela ficou furiosa, mas afinal acalmou-se e simplesmente rejeitou o plano.
Os deuses sob sua guardara então incitaram-na a agir depois de Apsu ser assassinado. Eles prepararam-se para fazer guerra contra os outros deuses. Assim Mãe Hubur, o rio subterrâneo, que podia produzir todas as coisas, gerou gigantescas cobras com veneno no lugar de sangue, e envolveu os dragões com a radiância semelhante aos deuses, produzindo assim uma terrível visão para a guerra. Ela reuniu uma serpente com chifres, um mushussu-dragão, um lahmu-herói, um ugallu-demônio, um cão-coelho, um escorpião-homem, umu-demônios, um peixe-homem, um touro-homem, e onze outros seres sob as ordens de seu campeão, Qingu. Tiamat deu a Qingu a Tábua dos Destinos para facilitar seu comando e ataque.
Marduk veio com sua hoste para atacá-la. Inicialmente a estratégia de Qingu confundiu-o mas logo Marduk começou a ganhar a batalha. Então Tiamat tentou incitar Qingu ainda mais, lançando zombarias contra ela. Mas Qingu menosprezou Tiamat e desafiou-a a um combate único com Marduk. Tiamat continuou tentando lançar seu encanto e Marduk capturou-a numa rede, lançando um vento sobre ela. Ela tentou engolir o vento e foi desmantelada - Distendida, furada, retalhada em dois e teve seu coração arrancado. Seu crânio partido tornou-se o arauto de sua morte, e metade de sua pele foi usada para cobrir o céu. Seus olhos tornaram-se as nascentes dos rios Tigre e Eufrates.

Lahmu e Lahamu


Primeira filha de Tiamat e Apsu na mitologia acádia. Com seu irmão Lahmu, ela é a mãe de Anshar e Kishar, que foram por sua vez os pais dos primeiros deuses. Lahamu às vezes é vista como uma serpente, e às vezes como uma mulher com uma faixa vermelha e seis ondulações na cabeça. Sugere-se que o casal era representado pelo lodo do leito marinho. Há também um paralelo entre a história suméria da Criação e a história cristã da Criação, onde Adão e Eva foram os primogênitos dos deuses.'Os Hirsutos' ou 'turvos' eles tem três pares de cachos, e são nus exceto por uma cinta tripla que cinge suas cinturas. Eles foram os primeiros filhos de Tiamat e Apsu. Kappa foi mandado buscá-los por Anshar, para ajudar a protejer Marduk em sua luta com Tiamat e se juntar a seu lado. Eles concordaram e ajudaram a encontrar o relicário principesco para Marduk.


Anshar


'Céu pleno' ele é o pai de Anu e o filho de Tiamat e Apsu. Ele é freqüentemente associado com Kishara, e suas qualidades foram assimiladas por Ashur. Quando Ea soube da guerra planejada por Tiamat, Anshar tentou incita-lo a atacar Tiamat primeiro, mas foi contido. Ele voltou para Anu e mandou-o em uma missão de paz para Tiamat, mas Anu retornou sem sucesso. Uma assembléia foi convocada e Marduk veio ao chamado de Ea, prometendo deposentarar o corpo derrotado de Tiamat aos pés de Anshar. Ele então reinvindicou da assembléia a promessa de que ele teria a liderança do panteão depois que ele fosse vitorioso da guerra. Ele mandou Kappa juntar Lahmu, Lahamu, e os outros deuses para proteger Marduk na sua luta e atraí-los para seu lado. Quando eles concordaram eles ajudaram a encontrar o relicário para Marduk. era o deus do horizonte celeste. Era esposo de Ki-shar, a deusa do horizonte terreno. Ambos foram o segundo casal a nascer da união de Tiamat e Apsu. Foi o pai de Anu e de Antu. Tem como mensageiro fiel o deus Gaga, que aparece no Enuma Elish.


Kishar



"terra plena" , ela é a mãe de Anu e a filha de Tiamat e Apsu.
Anu - Palavra Sumeriana para "Céu, paraíso", o deus céu, pai e rei dos deuses. Ele é o filho de Anshar e Kishar. Ele vive no terceiro Céu. O Eanna em Uruk foi dedicado para ele e sua consortee. Sua primeira consortee foi Antu. Eles produziram os Anunnaki - Os deuses do mundo inferior, e os utukki - Os Sete demônios maus. Sua segunda consortee foi Innina (Ishtar). Ele é o deus dos monarcas e é pouco amigável para as pessoas comuns. Ele é a "Rei dos Igigi". A ele é atribuído o céu como seu domínio em "Atrahasis". Seus "kishru" (estrelas cadentes) tem força assombrosa. Ele tem a abilidade de tornar realidade tudo o que ele nomeia. Ele é pai de Niudimmud (Ea).Ele chama Dumuzi e Gizzida para falar em defesa de Adapa.
Ele concordou em enviar o Touro do Céu atrás de Gilgamesh em prol de Ishtar, se ela se assegurasse de que o povo de Uruk estivese adequadamente aprovisionado por Sete anos. Ele decretou que ou Gilgamesh ou Enkidu deveriam morrer pelo assassinato de Humbaba e o Touro do Céu. Ele mandou Kakka a Kurnugi para dizer a Ereshkigal enviar um mensageiro para receber um presente seu.


Antu(m)



Termo Sumeriano para "A terra", ela é o ser sem cor que foi a primeira consortee de Anu. Eles produziram os Anunnaki - Os deuses do mundo inferior, e os utukki - Os Sete demônios maus. Ela foi substituída por Isthar (Inanna) que é em certos momentos considerada sua filha.

Aruru



(Ninmah, Nintu, Mami) - Ela é a Deusa-mãe e foi responsável pela criação do homem com a ajuda de Enlil ou Enki. Ela é também chamada a Deusa-Útero, e parteira dos deuses. À solicitação de Ea, ela agiu sob sua direção e misturou argila com o sangue do deus Geshtu-e, com o intuito de moldar e criar Sete homens e Sete mulheres. Estas pessoas iriam gerar a carga de trabalho dos Igigi. Ela também colaborou para a criação de Gilgamesh, e, ao comando de Anu, fez Enkidu à imagem de Anu, pegando um pequeno pedaço de argila, lançando-o na imensidão, e lá o fazendo nascer. Ea a enviou anunciar que ele oferecia seu amado Ninurta a quem pudesse caçar Anzu. Ela assim fez. (Veja também o termo Hittita Hannahannas)


Mammetum



O criador ou a mãe do destino.


Nammu


Uma das " Deusas puras ", mãe de Ea, associado com a água fresca.







Obrigado mais uma vez a todos e qualquer dúvida estarei disposto a responder.
Abraços, Saúde e Paz

0 comentários:

Postar um comentário