sexta-feira, 2 de outubro de 2009

É realmente necessário um sacerdote???

Estamos acostumados a sempre termos pessoas ao nosso lado que nos digam o que é “certo” ou “errado”, num primeiro momento temos nossos pais, que nos passam, ou tentam passar, a noção de decência, honestidade, essas coisas que precisamos aprender para sermos pessoas de bem. Quando crescemos e começamos a desenvolver nosso lado religioso, temos sacerdotes que cumprem esse papel.

No Brasil, o paganismo era difundido pelos índios, com a colonização isso ficou em segundo plano porque, como em todas as colônias, aqui também foi adotada a religião do país colonizador. Essas razões históricas fizeram com que não tenhamos desenvolvido uma “tradição familiar” pagã. Por isso, é muito difícil encontrar covens (grupo de pessoas que se reúnem para estudar e fazer feitiços, são formados por no mínimo três pessoas), e faz com que essa seja uma das maiores razões que façam com que hoje o número de pessoas que seguem o paganismo sejam solitários.

Em quase todas as vertentes do paganismo são adotados dois sacerdotes: o sacerdote (que representa o Deus) e a sacerdotisa (que representa a Deusa). Eles assumem os papéis dEles nos rituais.

Os sacerdotes não são pessoas inatingíveis, sagradas ou impassíveis de erros. Eles simplesmente assumem esse “cargo” por terem maior maturidade religiosa, servindo de auxílio para àqueles que ainda não tem a mesma experiência e grau de estudos deles. São importantíssimos em rituais complexos como casamentos e iniciações, mas não indispensáveis. Quando olhar para os seus sacerdotes, ou quando tiver a chance de encontrar com um, não olhe para ele com desprezo ou desrespeito, olhe para ele com o mesmo respeito que você olharia para um estudioso, pois é exatamente o que são!

Os critérios usados pelos covens são, como disse anteriormente, pessoas que tenham maturidade religiosa, grau elevado de estudos, comprometimento, responsabilidade e maior tempo na religião, ou seja, ninguém está excluído de ser um sacerdote, a menos que a pessoa não deseje isso, pois é um cargo de muita responsabilidade. Um sacerdote não é só uma “figura decorativa” que abre e encerra os rituais, ele é diretamente responsável pelo seu aprendiz; em caso de algum tipo de quebra de “código de ética” do coven ou até mesmo das leis supremas da natureza, o sacerdote receberá uma parcela da “punição” que será aplicada a seu discípulo. Nós pagãos entendemos que quando uma pessoa comete um erro dessa gravidade é porque não foi instruído corretamente, ou que o sacerdote ainda não tem o discernimento de saber aqueles que realmente estão aptos para aprender. Pois para aprender não é só necessário ter vontade, preciso também estar preparado para isso; e, é dever do mestre saber o que ensinar e até onde pode ensinar ao
seu aluno. Não quero alegar com isso que o sacerdote deve passar “meias verdades” para seu aluno, e sim que o bom mestre saber o que ensinar, e mesmo que pareça pouco, o bom aluno irá aprender e fazer bom uso daquilo que lhe foi passado. É obrigação dele, saber até onde seu aprendiz pode chegar.

Devem ter pessoas pensando assim: “mas eu não tenho mestre, o que devo fazer?”, hoje em dia existem infinidades livros com os mais diversos temas, leia e pesquise, sempre pedindo para as divindades que o auxiliem, deixe que eles sejam seus mestres.

Quando comecei me enveredar pelo universo pagão, encontrei várias pessoas que me diziam que iram me ajudar, que estavam ali pra me fazer ser grande, e que não eram comprometidas. Podiam até se pré-ocupar comigo, mas nunca se ocupavam comigo, e foi assim, depois de várias decepções resolvi seguir o meu caminho sozinha, sinto falta de ter com quem debater certas questões que só um pagão entende, e sempre que isso acontece, converso com as divindades no meu quarto no escuro ou enquanto tomo meu banho, sempre peço orientações a eles, que me guiem para o caminho certo. Sempre que vou a uma livraria ou entro em sites para procurar um livro interessante, peço a eles que guiem minha mente e minhas mãos para a melhor escolha, antes de ler para que me façam interpretar aquilo de maneira correta e que assimile todas as informações que são proveitosas. Isso até agora tem dado certo!

Não deixem que coloquem ou que você mesmo coloque empecilhos no seu desenvolvimento espiritual e psicológico. O seu maior rival é você mesmo! Não adianta nada você ter os melhores livros, um poder de aprendizado estupendo, os maiores mestres se você se sabota! Abra-se para a vida e principalmente para a magia!

Bênçãos infinitas....



1 comentários:

Postar um comentário