sábado, 1 de agosto de 2009

Uma pincelada em torno da Magia...


A definição que eu li no livro do Scott Cunningham foi a que me pareceu mais plausível: “A magia é a projeção das forças naturais para gerar efeitos necessários.” A magia não é externa, como aparece nos filmes. Ela não é nada além de sua própria energia direcionada.

Quando praticamos magia devemos ter em mente as seguintes coisas:

1º). Quando realizamos um feitiço, ou ritual, não devemos de forma alguma interferir na natureza desnecessariamente.

2º). Nunca usar a magia para prejudicar a ninguém.

Existem dois tipos de magia:

  • A magia popular: é aquela que as pessoas fazem “inconscientemente”, sem fins religiosos. São as simpatias e as superstições da vovó, essas coisas.
  • A magia ritualística: é toda aquela feita para fins ritualísticos. Quanto se mentaliza e envia boas energias para todas as pessoas da Terra e a própria Terra, numa mesa de Natal, por exemplo, é uma magia ritualística.

Segundo ele, existem 3 fontes principais de energias:

  • O poder pessoal: é a força vital que sustenta o nosso corpo e nossas existências terrenas. Na magia, o poder pessoal é gerado, imbuído de um propósito específico, liberado e direcionado ao seu objetivo;
  • O poder da Terra: é o que reside no interior de nosso planeta e em seus produtos naturais;
  • O poder divino: tanto o poder pessoal quanto o poder da Terra são manifestações do poder divino. Esta é a energia existente na Deusa e no Deus – a força vital, a fonte do poder universal que criou tudo aquilo que existe.




0 comentários:

Postar um comentário