terça-feira, 25 de agosto de 2009

Estorinha....

Desculpa gente, sem condições de postar qualquer coisa... só estou escrevendo isso porque me deu um surto de inspiração curtíssimo e saiu isso aí, espero que gostem!

A fadinha triste...

A fadinha recolhia ervas daninhas em seu jardim. Nossa! Como ela amava aquele jardim... e no meio das ervas havia algo, ela se espantou e entristeceu-se.
Deixou-se afundar em sua tristeza, aquele sentimento foi a envolvendo, a dominando, que quando se deu conta, suas lágrimas compadeceram a noite.
E a noite chorou, calma e silenciosa, como a pequenina fadinha! Sendo uma ótima acompanhante. Havia tanta dor, tanta tristeza, ela sabia que a culpa de seu sofrimento era dela mesma, por não ter dispensado os devidos cuidados ao seu jardim, e talvez esse fato tenha sido o que mais a entristecesse!
Quando o véu da noite foi sendo dilacerado pelo dia. O dia não achou justo ser lindo e glorioso, diante daquela cena. E se postou a chorar com a fadinha, tomando o lugar da noite. Como se a natureza sofresse concordasse com seu desalento.
Ela queria ver o mar, mas suas asinhas não conseguiam chegar lá, e trancou-se em sua flor, imaginou, viu e ele estava ali. Ela conversou com ele, mas sua tristeza não diminuiu. Como seria fácil se fosse espalhar o pólem das flores, mas ela sabia que não era tão simples.
Procurou o tempo, e ele nada respondeu. Parecia que era o único eu não dava importância ao sofrimento da fadinha. Ela não ficou triste com ele. Sabia que essa era uma semente que havia plantado, mas como transformá-la em algo bom para todo o país das fadas... não havia como!!!
Então, ela se recolheu em sua flor e permaneceu lá para o resto de seus dias!



Beijinhos e até amanha....



1 comentários:

Postar um comentário